22/08/2014
Sabe, muito se fala da ditadura da beleza, e as vezes sem perceber  estamos entrando nessa. E não é culpa nossa, é culpa da mídia em geral. Da sociedade que impõe certas coisas, principalmente a nós mulheres, como se já não tivéssemos muitas coisas pra nos preocupar.

Todo mundo sabe que estar num peso adequado para sua idade e altura é legal por uma questão de saúde, onde evitamos desgaste de doenças como diabetes, pressão alta entre outras coisas, porque a obesidade é sim uma patologia e existe tratamento para tal.
Comer alimentos saudáveis e praticar uma atividade física vai além de estar magro, é uma questão de estilo de vida e longevidade.
As escolhas que fazemos hoje irão influenciar diretamente em como seremos em nossa velhice.
O único problema de se buscar uma vida saudável é a proporção que isso toma em algumas mulheres na ânsia pelo corpo perfeito.
Então vamos refletir: o que é um corpo perfeito?
R:1) Um corpo magro, sem estrias e celulite, livre de manchas, com a pele viçosa e uma barriga sequinha.
R:2) Um corpo saudável, onde você tem forças para caminhar, disposição para fazer as coisas, peso condizente com a sua idade e que lhe permite realizar sem problemas as atividades do seu dia a dia.
Muitas vezes ficamos com a resposta número um não é mesmo? É claro que sim. O corpo perfeito é aquele que a revista e os sites esfregam na nossa cara a todo momento. #sóquenão
Pensamos muitas vezes como é possível aquela barriga sequinha e chapada que todo santo dia alguém fotografa em frente ao espelho com a frase de motivação para nos incentivar a conseguir o mesmo.
São aquelas pessoas que insistem em nos mostrar que as 6 horas da manhã estão na academia, treinando e a tarde numa outra atividade, e a noite fazendo um tratamento estético para se livrar daquela gordurinha teimosa que ainda está ali.
Desculpe, mas isso pra mim não é motivação, isso é obsessão. Por um tempo me frustrei, por me achar sem força de vontade por não conseguir ter esse tipo de rotina, me sentia fracassada.
Mas peraí, afinal quem sou eu?
Depois de algumas reflexões cheguei a conclusão que não sou modelinho, e também não vivo disso. E as 7 horas da manhã eu já estou trabalhando. Tenho afazeres domésticos e muitas coisas e pessoas pra cuidar na minha vida. Tenho contas pra pagar e não dá pra gastar meu dinheiro com estética e imagem corporal. Meu corpo é uma consequência do modo como me alimento e me exercito e ponto.
É um corpo de mulher comum que procura levar a saúde com muita consideração, mas eu sou como a maioria das brasileiras.
Acordo cedo, pego de metrô, trabalho, estudo, me estresso, enfio a cara no chocolate na TPM, depois fico triste por isso. Não tenho bom humor ao acordar, tenho sono, tenho sonhos, tenho perrengues e faço contas pro meu salário dar até o fim do mês.
Então minha gente, com todas essas obrigações, estar com a barriga chapada e a pele lisa deve ser a menor das minhas preocupações. Eu me considero uma mulher de verdade e, a minha beleza vai além dessa aparência imposta pela sociedade. Tenho admirado cada vez mais mulheres que buscam uma boa alimentação e uma atividade física que gostem, mas que assumam seus corpos e valorizem aquilo que tem de melhor, do que aquelas que tentam de tudo para chegar nesse padrão, e muitas vezes chegam a beira de uma depressão por nunca atingirem aquilo que imaginam ser a perfeição.
Se você tem tempo e dinheiro para se dedicar inteiramente a isso, ótimo. Mas se você não tem, faça o que está ao seu alcance, o normal para ter uma vida com saúde. Coma bem, e pratique uma atividade que também faça bem ao seu corpo e mente.
Não precisamos “morar” na academia, apenas precisamos nos exercitar, o recomendado por dia, entre 30 e 40 minutos.
Mas não vamos menosprezar o que somos apenas porque você não consegue viver em função disso, e não estamos fazendo exercício as 5h da manhã. Temos outras possibilidades pra fazer isso e continuar sendo saudável.
Não se sita mal porque ao sentar sua barriga dobra, a minha também faz isso, porque eu passo 8 horas em frente a um computador trabalhando para pagar as minhas contas.
Não se sinta mal se mesmo comendo bem e se exercitando nos momentos possíveis do seu dia, ao ir a praia você vai ver uma celulite ali, mas a moça deitada na canga ao lado não tem. Você não sabe como é a rotina dela, você não sabe quais são as possibilidades de vida dela. Mas você é tão mulher quanto ela, e as marcas no seu corpo contam a sua história.
Cada mulher tem a sua beleza, vamos aceitar nossa realidade e fazer dela a melhor possível, e isso não quer dizer ficar todo o tempo livre em frente a TV comendo, mas se você já faz o possível pela sua saúde, não precisa fazer o impossível. Tudo que é demais pode virar doença.
Viva as mulheres e a beleza verdadeira que temos pelo que somos e não pelo que aparentamos ser.
Um bju 
Compartilhe com os amigos:
Comentários 0

Leia Também

  • Desconecte-se
  • E se a comida fosse só comida?
  • Por um mundo com mais autenticidade e menos Photoshop
  • Comente pelo facebook:
    Comente pelo Blog: