09/09/2014

Quando eu comecei a trabalhar aos 18 anos, desenvolvi uma loucura por sapatos.
Isso porque eu adorava andar de salto alto e vivia comprando “só mais um”.

Meu sonho era um closet como este aí, com uma parte especial só deles.


O que eu não pensava é que para ter uma espaço bonitinho assim de sapatos, eu não poderia ter muitos.

Na época que comecei a trabalhar eu comprava tantos deles e o pior, além de não conseguir usar todos, e muitos até porque machucavam demais os meus pés, já que eu nem pre preocupava se eram confortáveis. Se eu os achasse bonito, comprava sem dó, inclusive dos meus dedinhos.

Desde quando me casei (quase 5 anos), tive que aprender a viver num apartamento com menor espaço. Foi então que comecei a desapegar dos sapatos.
Quando me mudei pra cá, eu doei muitos deles, e  percebi que de tempos em tempos eu tinha que doá-los, naquele conceito de entra um e sai outro.

Já perceberam que quando temos muito, uma grande maioria fica esquecido lá no fundo do armário, ou dentro de uma caixa, porque não conseguimos vê-los? E este, é o maior motivo de não usá-los. Na verdade nem lembramos deles. 🙁

E foi por isso que eu tinha a meta de reduzí-los até que TODOS coubessem no espaço destinado a eles. A portinha neste armário.

E finalmente depois de 4 anos me desfazendo de tempos em tempos, eu consegui!

Eu nunca contei, mas acho que estive perto de 100 pares, hoje somando sapatilhas, sapatos, chinelos, botas e rasteiras e tênis, eu estou na casa dos 30.
Não sei ao certo qual é o número ideal, mas pra mim o fato de finalmente caberem aí, já me sinto feliz.
Exceto por duas caixas de botas daquelas de cano alto, e duas sandálias, sendo uma de festa e outra do meu casamento, o resto está tudo aí.

Eu sei que algumas pessoas podem até dizer que tem menos que isso, e acho que se eu não trabalhasse fora, poderia também ter menos. Mas por enquanto, estou feliz com a redução que fiz e como é libertador poder vê-los organizados desta forma.

Antes, eu tinha algumas caixas guardadas em outros lugares e ainda ocupava parte da sapateira do meu marido.

Reduzir me fez ver até novas possibilidades para usar alguns que estavam esquecidos no fundo do armário ou escondido em outro lugar que eu não pudesse ver.

O trabalho de mandar embora começou a 5 anos. Cada vez que eu limpava o armário ia tirando, doando, e sempre ficava aquele que você nunca usa, mas está novo, ou você ainda acha bonito e não quer se desfazer. Até que comecei a fazer assim, se nas próximas duas arrumações, eu ainda não tiver usado, farei a doação. E foi assim que fui reduzindo bem.
Passei a achar que ao invés de querer um espaço maior para eles, eu deveria ao contrário, fazer com que eles coubessem lá.
Uma coisa bem importante, foi também deixar de comprá-los. A não ser em casos extremos. Por exemplo, todas nós que trabalhamos fora, devemos ter um sapato preto coringa, e quando ele se vai, não tem outro jeito, tem que substituir. Isso também é válido para sapatilhas.

O resto, sapatos bonitos apenas para passear, esses sim precisam de uma avaliação da minha parte para serem adquiridos.
Outro fator determinante na minha decisão, é se são confortáveis e se dá pra usar no trabalho e no lazer.

O fato é que agora estou bem mais satisfeita com a organização deles por aqui, e como eu acho que amadureci em relação a minha paixão por sapatos.
Agora eu tenho até mais espaços para guardar livros 😉

E vai ter gente feliz aqui, porque aprendeu a “ter menos”, e gente feliz do lado de lá que vai receber essas sacolas!

Reduzir e ser livre, este é o lema que estou conhecendo e me adaptando aos poucos. Mais importante que me desfazer de coisas que não tem mais utilidade, é descobrir que em todos os aspectos, menos é mais.

E você, como anda o seu consumo por sapatos e o que acha desse desapego por eles?
Me conta aqui nos comentários e vamos bater um papo sobre isso 🙂

bjus

Compartilhe com os amigos:
Comentários 0

Leia Também

  • As vantagens de um armário com menos roupas
  • Hidratação com Cresce Pelo
  • O minimalismo me pegou de vez
  • Comente pelo facebook:
    Comente pelo Blog: