11/09/2014

Bom, neste post aqui, eu falei o quanto o minimalismo estava fazendo sentido na minha vida. 
Então quer dizer que vou viver com o que cabe em uma mochila e ser feliz? Hahahaha claro que não.
Eu acho que ainda estou bem longe de me considerar uma pessoa minimalista de verdade, mas certos conceitos de qualquer ideia podem fazer parte da nossa vida, independente se você se considera uma pessoa daquele meio ou não.
Os blogs minimalistas me ensinaram muito principalmente sobre organização. Da casa, do guarda roupa, do desapego e de várias coisas que podem fazer muito bem a gente.
Já repararam que nós mulheres temos a mania de abrir o guarda roupas e dizer que não temos nada pra vestir? E neste momento o marido olha e vê um armário abarrotado e responde: “Como não tem nada, se está cheio de roupas aí?”.
Pois é bem isso, as vezes está cheio de roupas inúteis, que não servem mais, que precisam de conserto, que não gostamos mais, que não combinam mais com a nossa personalidade, que saíram de moda, que fazem a sua cabeça ficar confusa de manhã ao ter que se vestir pra trabalhar e sentir como se nada daquilo fosse seu, e que dá vontade de jogar tudo fora e comprar tudo novo.
Seria até legal se pudéssemos fazer isso assim tranquilamente, mas e o dinheiro pra comprar tudo novo de uma hora pra outra? Não é bem a realidade da maioria né?
A melhor coisa pra saber exatamente o que você tem, é selecionar aquilo que você realmente usa e o restante repensar se há tanto tempo parado ali, ainda vai ter alguma utilidade. Se não tiver, por que não doar?
“Ah, porque eu não tenho dinheiro pra comprar outras, e eu ainda posso precisar disso”. Pode acreditar, mesmo que você não compre outras, você não vai usar mais essas roupas.
Se desfazer de coisas inúteis melhora vários aspectos do nosso cotidiano.
Ter um armário com menos roupas, vai simplesmente mostrar o que você realmente tem para vestir.
Vou enumerar aqui 11 vantagens de se ter menos:
1) De manhã ao abrir o armário e pensar no que vestir, não há muito para se preocupar, as opções que você tem são claras e objetivas;
2) Quanto menos você tiver, mais poderão ficar expostas e a ideia de combinações flui muito melhor;
3) Você saberá e poderá observar tudo que tem, como na arara de uma loja, não haverá coisas escondidas por baixo de outras;
4) As gavetas permanecerão muito mais organizadas;
5) Você conseguirá vestir tudo que tem, desta forma, não pensará que gastou inutilmente seu dinheiro com uma peça que nunca veste;
6) A limpeza e circulação se torna mais fácil e frequente;
7) Você terá menos preguiça de guardar suas roupas após passadas;
8) Você sentirá satisfação ao olhar seu armário e ver que você evoluiu em relação a isso, e não se sentirá mais uma pessoa consumista;
9) Passará a planejar suas compras e, portanto, não vai mais gastar seu dinheiro com roupas inúteis.
10) Você também se sentirá menos pressionado a sempre variar seu vestuário, andar na moda ou coisas do tipo;
11) Com uma menor variedade, também poderá investir em peças de melhor qualidade que terão melhor caimento, durabilidade e consequentemente se sentirá melhor vestido.
Sabe aquele ditado que diz que qualidade é melhor que quantidade? Pois é bem isso que se resume essa nova visão.
Além do mais, parece que nos libertamos do consumo das vitrines, passamos a entender e nos vestir melhor com menos. Incrível isso, não acham?
Pois se antes eu me frustrava por não poder comprar a loja inteira quando lançavam a coleção de troca de estação, e me sentia pressionada a adquirir a calça da moda, hoje eu me sinto livre e feliz por não ter essa obrigação.
Se eu gosto muito de uma coisa, vou comprar claro, e vou usá-la, isso é impressionante. Passado o tempo, quando eu enjoar, me desfaço dela sem nenhum remorso ou arrependimento e vivo assim com mais liberdade e sem frustrações ao me vestir.
bjus

Compartilhe com os amigos:
Comentários 0

Leia Também

  • Desconecte-se
  • Diário do fim de semana
  • O bistrô depois do almoço
  • Comente pelo facebook:
    Comente pelo Blog: