18/11/2015

Oi gente!

Tudo bem por aí?

Vocês sabem que recentemente (7 meses) larguei mão de fazer escova no meu cabelo e resolvi aderir aos fios na sua forma natural né?

Eu ainda vou escrever um post contando tudo pra vocês sobre isso, prometo!

O fato é que agora, para usá-lo cacheado, eu tenho aprendido algumas técnicas muito importantes para hidratá-los e recuperar sua forma anelada.
Já passei pelo processo do grande corte que chamamos de Big chop, onde retiramos toda a parte com química do cabelo, que no meu caso era progressiva.
Bom, estou bem feliz com essa escolha e trouxe um vídeo de hidratação caseira pra vocês que ajudou muuuuito a recuperar a os meus fios.

Então, clica aqui embaixo pra ver. E se você ainda não é inscrito na nosso canal, não se esqueça de se inscrever pra receber em primeira mão as novidades por lá.

Espero que gostem! bjus

Compartilhe com os amigos:
Comentários 0

Leia Também

  • Meu cantinho de feminices
  • Meus sapatos finalmente cabem no armário
  • Hidratação com Cresce Pelo
  • 03/10/2014

    Girls,

    Não sou muito de modinha de cremes para cabelos. Mas desde quando eu deixei de fazer progressiva, estou procurando produtos de melhor qualidade pra facilitar meu trabalho com o secador.

    Quando cortei meu cabelo este ano, tem post aqui, confesso que andei procurando na net alguma coisa que ajudasse a crescer o cabelo.
    E foi acreditando nisso que cheguei a essa belezinha aqui, que se faz crescer o cabelo mesmo eu não sei rs, mas a hidratação e o brilho, realmente me surpreenderam.

    A marca é “Boé”, que eu não conheço e tive que comprar numa loja de produtos importados. Mas já vi em vários sites pra vender.
    O que mais me chamou atenção e talvez seja exatamente isso que fez toda a diferença no resultado de brilho, é que o produto é natural. A marca diz que é um tratamento fitoterápico com emolientes naturais e livres de química.


    Não sei se é verdade ou não que não tem química, só sei que o meu cabelo aceitou muito bem. O cheirinho é agradável, e precisa deixar um período de 15 a 20 minutos, mas já deixei menos e funcionou. Rende bastante, pois um pouquinho já é suficiente.

    O preço é aproximadamente R$ 59,00. Eu confesso que não me lembro bem, porque já faz uns meses. Comprei só a máscara, mas tem a linha toda.
    Se quiser sabem mais, é só digitar o nome na internet, e tem nas lojas on line indicadas pela Diva Luciane Ferraes. Inclusive tem resenha dela sobre o produto, que foi um dos motivos da minha aquisição.

     Ignorem a minha cara tá gente, só queria mesmo mostrar o cabelo 😉

    Gostaram?

    bjus

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários 0

    Leia Também

  • Umectação capilar com óleo de coco
  • O corte de cabelo errado que deu certo
  • Não tirar cutículas
  • 19/09/2014
    Oi amores!
    Este post é especial para as meninas. 
    Eu sempre quis ter um cantinho para maquiagem, desde quando descobri que deixá-las no banheiro não é nada bom por causa da umidade. Além do mais, ter um lugar definitivo, onde todas estão juntas, é mais fácil pra usá-las. Quantas sombras e batons você “escondeu” em algum lugar e quando encontrou já estavam vencidas?

    Meu marido resolveu meu problema com o espelho, fazendo este par mim, quem quiser tem o tutorial do faça você mesmo o seu Espelho Camarim, e é simples (quer dizer meu marido disse que era rs).
    Comprei o material numa loja de produtos para casa e construção, gastei bem pouco, uns R$ 14,00 no espelho, cerca de R$1,80 nos spots (que são mini) e um pouco de fio para a instalação + a tomada. Como meu espelho é pequeno, eu não percebi que não havia necessidade de tantas lâmpadas. Hoje eu uso apenas uma aí no meio, e é suficiente. Depois vou comprar mais duas amarelas pra equilibrar a luz.
    Essa mesa, era de um antigo computador que foi doado e estava sem uso. Comprei umas caixinhas na 25 de março, e os pincéis ficam em copos de vidro. O único problema é que expostos assim, tem que ser lavados com maior frequência, porque pior que sujo de produto de maquiagem, é o pó de poluição para a pele. Faz muito mal.
    Essa plaquinha lilás de EVA, comprei também numa papelaria na 25 de março, e paguei cerca de R$ 2,50. Porque como a bancadinha é branca, sujava e manchava tudo. 
    Os batons ficam numa caixinha de presente, que aliás é de algum cosmético. E as outras duas caixinhas de madeira são tem bijouterias.
    Meninas, eu sei que este não é o cantinho dos sonhos de ninguém, mas para mim está ótimo! Eu não tenho a pretensão de aumentá-lo, e nem tenho o desejo de ter mais maquiagens.
    Eu aproveitei um local em desuso, e agora quando tenho uma festa e preciso de uma maquiagem mais legal, tenho o local adequado pra fazer e não preciso disputar o espelho do banheiro com o marido que tá fazendo a barba. (rsrs)
    Não gosto muito de ir a salões para maquiagens, prefiro usar os meus produtos de pele que já estou acostumada e modéstia a parte, sei fazer isso muito bem. As meninas que fazem tutoriais na internet já me ensinaram muitas coisas, até cílios postiços eu já me aventurei. 😉 
    Só mostrei pra motivá-las a aproveitar os espaços na sua casa, e quem sabe de quebra você ganha “seu canto”.
    Pode-se aproveitar essa mesma ideia para um home office não acham? Com prateleiras e quadros de avisos. É só usar a imaginação.
    Um bju
    Compartilhe com os amigos:
    Comentários 0

    Leia Também

  • O corte de cabelo errado que deu certo
  • Umectação capilar com óleo de coco
  • Meus sapatos finalmente cabem no armário
  • 09/09/2014

    Quando eu comecei a trabalhar aos 18 anos, desenvolvi uma loucura por sapatos.
    Isso porque eu adorava andar de salto alto e vivia comprando “só mais um”.

    Meu sonho era um closet como este aí, com uma parte especial só deles.


    O que eu não pensava é que para ter uma espaço bonitinho assim de sapatos, eu não poderia ter muitos.

    Na época que comecei a trabalhar eu comprava tantos deles e o pior, além de não conseguir usar todos, e muitos até porque machucavam demais os meus pés, já que eu nem pre preocupava se eram confortáveis. Se eu os achasse bonito, comprava sem dó, inclusive dos meus dedinhos.

    Desde quando me casei (quase 5 anos), tive que aprender a viver num apartamento com menor espaço. Foi então que comecei a desapegar dos sapatos.
    Quando me mudei pra cá, eu doei muitos deles, e  percebi que de tempos em tempos eu tinha que doá-los, naquele conceito de entra um e sai outro.

    Já perceberam que quando temos muito, uma grande maioria fica esquecido lá no fundo do armário, ou dentro de uma caixa, porque não conseguimos vê-los? E este, é o maior motivo de não usá-los. Na verdade nem lembramos deles. 🙁

    E foi por isso que eu tinha a meta de reduzí-los até que TODOS coubessem no espaço destinado a eles. A portinha neste armário.

    E finalmente depois de 4 anos me desfazendo de tempos em tempos, eu consegui!

    Eu nunca contei, mas acho que estive perto de 100 pares, hoje somando sapatilhas, sapatos, chinelos, botas e rasteiras e tênis, eu estou na casa dos 30.
    Não sei ao certo qual é o número ideal, mas pra mim o fato de finalmente caberem aí, já me sinto feliz.
    Exceto por duas caixas de botas daquelas de cano alto, e duas sandálias, sendo uma de festa e outra do meu casamento, o resto está tudo aí.

    Eu sei que algumas pessoas podem até dizer que tem menos que isso, e acho que se eu não trabalhasse fora, poderia também ter menos. Mas por enquanto, estou feliz com a redução que fiz e como é libertador poder vê-los organizados desta forma.

    Antes, eu tinha algumas caixas guardadas em outros lugares e ainda ocupava parte da sapateira do meu marido.

    Reduzir me fez ver até novas possibilidades para usar alguns que estavam esquecidos no fundo do armário ou escondido em outro lugar que eu não pudesse ver.

    O trabalho de mandar embora começou a 5 anos. Cada vez que eu limpava o armário ia tirando, doando, e sempre ficava aquele que você nunca usa, mas está novo, ou você ainda acha bonito e não quer se desfazer. Até que comecei a fazer assim, se nas próximas duas arrumações, eu ainda não tiver usado, farei a doação. E foi assim que fui reduzindo bem.
    Passei a achar que ao invés de querer um espaço maior para eles, eu deveria ao contrário, fazer com que eles coubessem lá.
    Uma coisa bem importante, foi também deixar de comprá-los. A não ser em casos extremos. Por exemplo, todas nós que trabalhamos fora, devemos ter um sapato preto coringa, e quando ele se vai, não tem outro jeito, tem que substituir. Isso também é válido para sapatilhas.

    O resto, sapatos bonitos apenas para passear, esses sim precisam de uma avaliação da minha parte para serem adquiridos.
    Outro fator determinante na minha decisão, é se são confortáveis e se dá pra usar no trabalho e no lazer.

    O fato é que agora estou bem mais satisfeita com a organização deles por aqui, e como eu acho que amadureci em relação a minha paixão por sapatos.
    Agora eu tenho até mais espaços para guardar livros 😉

    E vai ter gente feliz aqui, porque aprendeu a “ter menos”, e gente feliz do lado de lá que vai receber essas sacolas!

    Reduzir e ser livre, este é o lema que estou conhecendo e me adaptando aos poucos. Mais importante que me desfazer de coisas que não tem mais utilidade, é descobrir que em todos os aspectos, menos é mais.

    E você, como anda o seu consumo por sapatos e o que acha desse desapego por eles?
    Me conta aqui nos comentários e vamos bater um papo sobre isso 🙂

    bjus

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários 0

    Leia Também

  • As vantagens de um armário com menos roupas
  • O corte de cabelo errado que deu certo
  • Meu cantinho de feminices
  • 13/08/2014

    Sempre fui bem desencanada com o meu cabelo. Isso porque ele crescia tipo capim mesmo.
    Me lembro que aos 13 ou 14 anos, eu passava um tempão sem ir ao salão e quando chegava lá com ele na cintura falava pra cabeleireira: “pode cortar no ombro”.
    Todas as mulheres em volta no salão ficava de boca aberta e diziam: “como você tem coragem de cortar esse cabelão?”

    Eu dava de ombros e feliz da vida, saía de lá com meu chanelzinho.
    Até que quando fiz 18 anos resolvi adotar o cabelão por muitos anos, até o momento que eu casei aos 26, porque a gente tem mania de achar que noiva “precisa do cabelão” pra fazer penteado.


    Vocês já sabem desta parte que contei aqui, eu engordei uns 8kg e resolvi emagrecer. Não parece, mas agora isso já faz dois anos e meio.
    Pois bem, ao conseguir emagrecer um dos meu propósitos era me livrar do cabelão. E eu queria bem curtinho, nem tanto, porque “Joãzinho” não tava nos meus planos não rs.

    E fui sem dó! Meti a tesoura e cortei na altura dos ombros meio repicado, e assim o fiz mais duas vezes, sendo que da segunda, um pouquinho maior.
    E todo mundo começou a falar: cadê seu cabelo, tão lindo! Não vai mais deixar crescer?
    Eis que quando eu via alguém de cabelão, comecei de novo a ter saudades do meu. E então decidi deixar crescer. Mas eu sabia que para que isso acontecesse logo, tinha que abusar da hidratação e esquecer das aparadinhas de vez em quando, se não ele não iria crescer.

    Fiz isso! Passei um ano aguentando pontas duplas e secas, sem corte, muitas vezes terrível. Mas ele finalmente chegou no comprimento que eu queria. Fiquei tentando arrumar um tempo pra ir ao salão, porque eu queria um corte que mantivesse o longo, mas que repicasse a frente num degradê fazendo uma leve franja daquelas de usar de lado.

    Não levei a foto pro cabeleireiro, e só expliquei como eu queria, afinal, era um corte simples que todas as vezes que pedi, todo mundo soube fazer.
    Ele pareceu entender, e eu confiei. De repente, ele puxou a parte da frente e passou a tesoura na metade, só que: RETO. Eu olhei por entre os fios na fente do espelho e pensei: “ta meio estranho isso, mas ele é cabeleireiro deve saber o que tá fazendo”, e deixei que continuasse.

    Enfim, antes de ele começar a secar, eu já vi uma divisão horrível e reta no meu cabelo, a parte da frente quase no ombro, e atrás enorme, e o  degradê? Sei lá, acho que ele não sabia o que era isso.
    Pedi que ele chamasse a outra cabeleireira do salão e expliquei pra ela o que eu tinha pedido. Ela olhou, examinou e falou pra ele, você cortou demais a frente, agora vamos ter que encurtar atrás pra acompanhar o corte e ficar melhor.

    Gente, aquela altura eu juro que tava com vontade de chorar, mas não fiz nenhum escândalo, fiquei bem contida, o rapaz tremia e eu comecei a ter pena dele. Disse apenas o seguinte: “Tudo bem moço, cabelo cresce, não tem problema, mas não foi isso que eu pedi”.

    Saí de lá muito chateada, e insatisfeita e paguei, porque ninguém falou que não era pra eu pagar, outro absurdo, se eles viram minha insatisfação, acho que o mínimo era não cobrar.
    Fui embora pensando: Se fosse pra isso eu não teria esperado um ano pra cortar o cabelo. Chorei sim, e não foi pouco. Mas logo em seguida pensei: “deixa de ser louca Vanessa, isso é SÓ CABELO”.

    No dia seguinte, ao lavar e perceber que levei pouco mais de 10 minutos para secá-lo e escová-lo, percebi que foi até bom. As aulas voltaram e eu vou ter menos tempo pra fazer isso. Chego em casa por volta das 23:30 e ainda lavo o cabelo esse horário. Qualquer 10 minutos pra mim a noite é ouro, é um pouquinho a mais no meu sono.

    O problema é que ele estava muito despontado, com a parte de trás bem “mastigada” e a tal franja que eu pedi, cadê?
    Foi aí que resolvi então procurar outro cabeleireiro, dessa vez por indicação de um colega de trabalho, que ele, e a esposa dele já são clientes ha anos. E o resultado não poderia ter sido melhor!

    Então minha gente, além deste ponto positivo, o cabelo é só cabelo, e cresce muito mais bonito e mais forte quando tira-se um bom pedaço.
    Só sofri porque dava muita importância pra ele, se não desse, teria saído do salão um pouco chateada, mas não deprimida, porque era só arrumar como fiz depois. E quer saber? Agora sim eu tô me me sentindo uma DIVA. hahaha

    E a lição que tiro, é que quanto menos importância damos a alguma coisa, menos sofremos e mais felizes nós somos.
    E hoje eu tô bem feliz com ele assim 😉

    Vocês curtiram?

    bjus

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários 0

    Leia Também

  • Meus sapatos finalmente cabem no armário
  • Não tirar cutículas
  • Hidratação dos cabelos em casa
  • 11/08/2014
    Meninas, estou devendo este post há um tempão né?
    Mas estava esperando ter uma opinião formada pra falar. Agora que já  se passou um tempinho, posso dizer o que acho.

    Há quatro meses resolvi dar adeus ao alicate de cutículas da minha vida de uma vez por todas.
    Já havia tentado isso uma vez, mas sem sucesso, justamente porque não aguentei ver minha unha feia, cheia de peles arrepiadas, desidratadas e com cara de quem tinha acabado de lavar um balde de pano de chão L

    Mas desta vez,  resolvi pesquisar no mundo dos blogs como as meninas que são adeptas desta prática conseguiram evoluir a esse ponto e ainda por cima ter unhas bonitas e saudáveis.
    E aí amados é que tá o pulo do gato, o segredo pra que tudo funcione bem é a hidratação constante. E quando eu falo constante, é no sentido literal mesmo da palavra, você tem que hidratar pelo menos 3 ou 4 vezes ao dia. É como trocar o alicate uma vez por semana por uma hidratação diária. Pode parecer mais trabalhoso sim, mas a longo prazo compensa demais.
    Primeiro porque após algumas semanas, as unhas começam a ficar bonitinhas, a cutícula diminui e ela fica com aspecto mais saudável.
    Pra mim foi extremamente importante essa troca, pois é a única salvação para o batidão de cuidar da casa e cozinhar aos finais de semana, geralmente aos domingos e depois ter pilhas de louça pra lavar.
    Nos serviços domésticos eu costumo usar luvas pra proteger as mãos dos produtos de limpeza que são extremamente nocivos. E quando começamos a ficar mais velhas, atenção meninas, nossas mãozinhas são as primeiras a dar esses sinais da idade, por isso é melhor prevenir né?
    Mas na pia, eu não consigo me adaptar as luvas, mesmo porque, quando estou cozinhando, já vou lavando a louça e isso adianta muito o meu lado.
    E agora que já estou chegando a quatro meses sem tirar as cutículas, sinto que foi a melhor escolha que fiz, as unhas estão mais fortes, crescem mais, e se não houver tempo de esmaltar, ainda assim estão bonitas, parecem que estão sempre feitinhas 😉
    Os produtinhos que tenho usado são vários. No dia a dia uso a cerinha da granado e cremes normais para as mãos. Uso a todo momento que lembro.

    Algumas vezes, principalmente nos dias que cozinho e mexo muito com água, uso antes de dormir o bepantol. Ele hidrata muito e melhora o aspecto judiado que o detergente causa. No dia seguinte, as unhas estão normais. O problema é que só da pra usar pra dormir porque é muito melequento. E durante o dia pra quem passa muito as mãos no cabelo não é uma boa ideia.
    Nos dias que vou pintar as unhas, além de hidratar na noite anterior com o bepantol, uso uns minutinhos antes logo após empurrar a cutícula com a espátula o óleo secante de orquídea da Risqué. Ele tem emolientes e deixa as minhas unhas com cara de que acabaram de sair da manicure.
    Depois é só lavar as mãos com um sabonete hidratante (para tirar o óleo antes de pintar) e pronto. Suas unhas ficam lindas e saudáveis.
    No início da um pouquinho de trabalho pra limpar os cantinhos dos esmaltes e das primeiras vezes você vai achar feio, principalmente se for uma viciada em cutículas fundinhas. Mas não desista, logo você acostuma e ela vai diminuindo. E todo esse processo passa a ser natural pra você.
    Pelo menos pra mim, está valendo muito a pena. Unhas bonitas e saudáveis e da cor que eu quiser em minutos, sem perder tempo com manicure e nem precisa lidar com a frustração semanal de “não deu tempo de fazer” rs.
    E vocês tiram sempre as cutículas? Me contem nos comentários 😉
    bjus
    Compartilhe com os amigos:
    Comentários 0

    Leia Também

  • Meu cantinho de feminices
  • Depois da comilança
  • Muffin de Aveia
  • 02/04/2014

    Queridos e queridas, tudo bem?

    Bom, o assunto hoje é sobre beleza, quis compartilhar porque quando voltei de viagem, meu cabelo tava tipo uma vassoura 🙁
    Sério mesmo, sol, cloro, vento e sal acabam com as madeixas. E eu não sou muito adepta de salão por dois motivos, não tenho paciência e também por economia. Claro que corto o cabelo e faço penteados quando preciso no salão, mas hidratação, dou meu jeitinho em casa e acho que funciona.

    Misturei num potinho uma colher de sopa aproximadamente desses dois cremes abaixo e mais umas gotinhas dessas ampolas. Sendo uma de vitamina A e a outra semi dilino (não me pergunte pra que é, foi indicação da moça da perfumaria para dar brilho).
    E usei uma toca térmica daquela que tem bolinhas de isopor por uns 40 minutos.

    Reconstrutor Lacan, Máscara de impacto Lowell, Reparador de pontas Lacan e ampolas de perfumaria

    O reconstrutor da Lacan é de alto impacto e tem resultados imediatos. Ele parece uma geléia e após enxague deve-se usar também um condicionador ou máscara.

    A máscara de alto impacto da Lowell é bem consistente e tem um cheiro agradável. Mas quando meu cabelo está muito ressecado que era o caso, ela não funciona bem. Por isso eu misturei com o reconstrutor.

    A vitamina A é para dar força aos cabelos. E o semi Di Lino, misturei 1/3 do vidrinho, pois eu já havia usado antes. Pode ser usado diretamente nos fios.

    O reparador de pontas usei somente após o uso do secador. O resultado foi esse aí:

    Ficou brilhoso e sedoso.

    E você, o que faz em casa por falta de tempo, dim dim ou paciência mesmo?

    Me conta!

    bjus

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários 0

    Leia Também

  • Kit de ginástica em casa
  • Dietas retritivas
  • Aniversário de 1 ano do blog